terça-feira, 29 de abril de 2008

hora

da sesta

para a Jo

sei que não ouves música (enfim, só aquelas piroseiras que te fazem andar com os carros aos zig-zagues enquanto as procuras na rádio!..) mas faz lá um esforço! Se calhar o melhor é abstraíres-te do video... :D
Esta senhora é a my favorite! Esta música é lindinha e a letra está aqui, para ires praticando o Inglês. :)

"I'm Alright" e a Madeleine Peyroux.
Beijinhos!
("tears don't leave any scars")

ps - se por acaso gostares (!!!) eu dou-te umas musiquinhas... :)


segunda-feira, 28 de abril de 2008

AAAAAAAAAaaaaaaaahhhhhhhhhhh!!!!

Fim-de-semana em stress, porque à mínima coisa não durmo - a Mariana, de novo, a dormir num colchão, desta vez insuflável e que fazia um barulho enorme a cada movimento (sendo que a própria não dormia muito bem...), ele a deitar-se de novo às quinhentas por causa do trabalho e eu a acordar, eles a ressonarem e eu a acordar - porque a tia foi para Tróia e precisa que a levantem, que a limpem, que a lavem, que a vistam, que a sirvam, que a tratem, e, de preferência, que apesar de tudo a façam sentir-se bem. E porque para isso estou eu. (Mas eu também não gosto, também ninguém me ensinou, apenas respiro fundo e faço o que alguém tem que fazer e não sou constantemente poupada, nem coitadinha. Em relação a factos, todos estamos na mesma circunstância. Sim estou a dar recados.)

Depois, trânsito para chegar a casa - quem não arrisca, não petisca. Apesar de tudo, fugi para a Praia duas manhãs com a Mariana, depois de prestar os serviços mínimos.

Hoje de manhã o esquentador não funcionou por nada. Corre, corre, "tenho sono", "também eu" e decido não arrancar para o trabalho depois da escola mas para casa. Porque preciso de dormir. Ao invés, carrego com quilos de roupa lavada que a máquina não torce. Mas não posso parar de fazer máquinas porque não há cuecas, além de toda uma série de outras roupas. E porque cá em casa há roupa de grandes dimensões que tem que ser lavada todos os dias, não me perguntem porquê. E porque ao fim de dois dias sem o fazer instaura-se o caos. E porque há uma semana que ando de atrelado com a tia e tudo o resto se desmorona porque não há margem para imprevistos e porque eu não aguento mais. (E porque é que eu não aguento mais? Porque andei muito tempo a aguentar e a correr e porque andei anos a não dormir convenientemente porque não há homem que não ressone, criança que não faça xixi, e eu, em vez de me contentar com aquilo que não tem resolução, andei feita tola, palerma, a alimentar egos doentes e cabeças dementes, em nome - não do amor, mas da falta de amor próprio...)

E trinta vezes limpo a bancada da cozinha e trinta vezes vem a gata espezinhá-la de novo. Provavelmente, quando a criança nascer, far-se-á luz...

E a janela da cozinha - zás! - avariou-se, e eu de estendais espalhados por toda a parte, precisava que ela funcionasse mais do que nunca.
E ali está a roupa da 4ª máquina por estender e eu sem ter onde a pôr (e os edredons continuam a pingar).
Quero agora ver se durmo (porque acumulo os sonos de dias e hoje o despertador tocou, de novo, às seis da manhã para que ele pudesse ir trabalhar mais cedo), com o pavor de que o telefone toque porque não se arranja solução para a tia. E quem arranja solução para mim?

E depois vem a Mariana e ainda tenho que resolver as compras e o jantar. E rever os trabalhos de casa. No big deal, mas eu pergunto como é que é suposto ser-se ainda uma profissional dedicada, como eu já fui, ou "hiperactiva" como ouvi desejar ao outro, no outro dia (e eu toda a vida fui até um dia...)

Haverá até quem consiga, muitos mais anos do que eu, mas sinceramente, não tenho culpa que existam esses modelos, que acabam mal, e que eu não ambiciono para mim (porque não tenho que o fazer).

Tenho uma óptima citação para aqui deixar, do The Bitch In The House, mesmo a propósito, mas agora não tenho tempo.

E para outa altura, deambulações sobre o sentimento de posse, o "ter" e o "viver", ou usufruir. Disfrutar!

Adiante!

domingo, 27 de abril de 2008

a praia

bis

sábado, 26 de abril de 2008

a praia,

hoje de manhã, estava muito próxima daquilo que há-de ser a praia ideal...

Tróia


sexta-feira, 25 de abril de 2008

acabei

agora de ver.

Forte, hã?
E bonito, triste, contudo... esperançoso.


quinta-feira, 24 de abril de 2008

enquanto

estou para aqui a ruminar a vidinha e a conjectura, não quis deixar de partilhar convosco esta mui singela descoberta, graças aos devaneios do Ricardo Gross.
Tão simples, tão bem realizado.
O Camané, esse, já se sabe (imaginem uma voz a gritar do meio da assistência): É(s) lindo!!
Para mim é das melhores vozes do Universo. Para mim e para qualquer pessoa atenta (e não é preciso muito)! Quente, cheia, linda e poderosa! E o Camané é um assombro (nisso o video não faz jus).


...

isso é que era bom...

A Felicidade saíu para já não voltar. E acha que não é uma irresponsável por me ter avisado!!! Epá, bestial!
Estou farta.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

finalmente sentada!.. :b

pronto, espero que resolvido!
A tia já está em casa com uma senhora que fica dia e noite. Quando a D. Felicidade precisar de sair a tia fica um bocadinho com as amigas ou no café, também com as amigas, a espairecer. O que vale é que no bairro toda a gente a conhece. No talho, no dentista, na padaria, no café, etc, que, por sinal, ficam todos na mesma rua e à porta de casa.
Uff... espero!
(escusado será dizer que não dormi nada e que daqui a minutos já devo estar a babar para cima do teclado...)

terça-feira, 22 de abril de 2008

estado do sítio

a tia Lizette, aquela tia velhota do Natal e dos anos, caíu e partiu o ombro (resumindo) e agora está cá em casa porque não pode estar sozinha (está toda atada, não pode usar o lado direito e tem pouca força, pernas incluídas, a juntar ao Parkinson). Até resolver a situação, dorme no quarto da Mariana, a Mariana dorme num pedaço acolchoado retirado ao sofá, colocado no chão ao pé da minha cama. Eu não posso fazer esforços e a tia, que precisa que a segurem para levantar, deitar, sentar, ir à casa-de-banho, não deve andar de um lado para o outro (de carro), deve estar sossegada... a Mariana tem que ir à escola e eu, supostamente, tenho que trabalhar... O Amor não tem horários, raramente come e pouco dorme, se dormir. O cão esteve 24 horas sem ir à rua, à espera de quem o levasse... A gata vai vomitando por onde calha e eu não estou imune à toxoplasmose... estamos assim. O curioso é que ela (a tia) mantém o espírito inabalável! Acho que nunca conheci ninguém com tão bom humor!! O Pessoa também, claro.
Hoje são dois a ressonar.

... e enquanto

o circo está montado lá em baixo, com a comitiva real da miss Angola 2000-e-sei-lá-que-ano, eu, depois desta masturbação intelectual/estética, mas sempre física, que é andar a deambular pelos videos e músicas do Catetano Veloso (bendito youtube), deixo-os e vou ao médico. Outra vez. Que agora EU passo a vida nisto...

é verdade!

Hoje é o dia da Terra!


"The Bitch In The House",

edited by Cathi Hanauer - 26 mulheres contam a verdade sobre sexo, solidão, trabalho, maternidade e casamento...

Logo na introdução, deliciosa, franca e esperta (desculpem mas como não sou tradutora e respeito o trabalho de quem o é...):

"(...) I began to ask these women about their experiences - to dig deeper - and to consider and compare potencial reasons for this seeming epidemic of female rage.*

* A few that came to my mind: Too much to do in too few hours. Not enough help from society and, sometimes, spouses. Invasion of technology into our lives, further accelerating our already fragmented time. Financial responsability combined with the responsability and inherent desires of motherhood. The wish, regardless of financial responsability, to have a fulfilling carrer, for wich we've prepared all our lives. Pressure, thanks to a society obsessed with appearence combined with growth in the plastic surgery, cosmetic, and weight-loss industries, to look not only flawless but younger than we actually are. Lack of role models in our lives for what we're trying to do. (At my age, my mother was in the midst of a fifteen-year interruption of her carreer in order to cheerfully raise four children, head the PTA and the Brownie troop, and serve our family three homecooked meals a day, plus meet my father's every demand; my mother-in-law had mostly given up her career to aid my father-in-law's career and raise their two boys.) Lack of help from our extended families. (My mother had resumed that interrupted career and, at sixty-three, was at its pinnacle, working full-time while overseeing the care of my nonety-two-year-old grandmother and nursing-home-confined younger brother - not to mention still waiting on my father, who, conveniently for him, was stuck back in the 1950s.) The ideas and belief - courtesy of a culture ever more mired in materialism, consumerism, and false advertising - that we should have it all, do it all, and be it all, and be Happy. And if we're not, by God, something is wrong."

assunto que desenvolveremos...

segunda-feira, 21 de abril de 2008

aqui

na dúvida sobre se iria dormir ou ver o Babel, para dar vazão aos filmes que trouxe do videoclube (eu fui ao videoclube!?), decidi - pasme-se - que vou ler um livro!

("tu não sabes ler!" - diz lá, Jo!)

está tão gira

a minha miúda!...




não se pode dizer

que estou com um feitio do cão porque o Pessoa tem realmente muito melhor feitio do que eu...
...então agora, caramba!

domingo, 20 de abril de 2008

é uma gata arrumada!

gata na prateleira


7?


filme da manhã

"(...)
Bobbie - Add it up. All the women around here are perfect sex-kitten bimbos. All the men are drooling nerds. Doesn't that seem strange?
Joanna - Not to me.
Bobbie - Why not?
Joanna - I work in television. (...)"


The Stepford Wives, Mulheres Perfeitas, de 2004.
Já há uns anos que tinha curiosidade sobre o filme, mas no outro dia lembrei-me que vinha muito a propósito.

(Perguntaram-me o que acho sobre o esgotamento de uma certa pessoa, o que o motivará? Numa parábola: É isto!)

Cheira-me que (também) deve ser giro o original!...

sábado, 19 de abril de 2008

a Ytchi, Pessoa,

a Ytchi?

E ele sai para ir buscar o rato...

ena

4 online! Mas passa-se aqui alguma coisa?!

pensamento

das cinco da tarde:

"tomar banho"...
ergue-se-me o canto superior esquerdo do lábio, sem mexer outro músculo... rosno, grunho... mas baixinho... acho que só eu é que oiço, mas com a cabeça...

- então almoço, engulo qualquer coisa, para que a tontura, ao levantar, não me atire ao chão.
Depois deito-me outra vez.

efectivamente

eram grandes malhas, as dos GNR...
Grandes letras, que ainda hoje permitem as ironias e as brincadeiras que o R.R. faz com elas, e grandes melodias...
Do MEU ponto de vista, não houve mais bandas assim.
Foi bom lembrar Morte ao Sol, Efectivamente, Bellevue, Dunas, entre outras.
Faltou a Ana Lee.

no entanto

não posso deixar de dizer:

Quem é o IDIOTA que os GNR arranjaram para baixista??!! Ah, é o Jorge Romão...
Que grandessíssimo CABOTINO!!!!!!!

O Cabrão praticamente arruinou a dinâmica do espectáculo!! Ora aí está um gajo que merecia ter sido despedido em directo, no palco!! (Mas os senhores portaram-se que nem senhores e resolveram ignorar - se é que isso é possível - o camelo!)

Imaginem:
A disposição no palco era cénicamente correcta e equilibrada! Atrás a banda da GNR, cento e tal fardas dispostas comme il faut; à frente os GNR. Do meio para a esquerda estava o Reininho e o gajo, do meio para a direita os dois guitarristas (infelizmente a bateria e as teclas não se viam, muito laterais.). Em frente ao Reininho, que era a cara do concerto, aquele que todos queriam ver, havia um avançado sobre o público, na diagonal/centro, para "destaque".

Pois bem, o PALHAÇO passou o tempo aos saltos (metade da idade dos outros, certo?) a avançar sobre o público.
Quando os outros faziam solos, ELE avançava sobre o público. Quando o Reininho experimentava avançar, ELE sobrepunha-se e avançava também, sempre ligeiramente à frente. O Reininho parava e ELE continuava. Um dos Guitarristas avançou algumas vezes e ELE colou-se SEMPRE!! Nunca deixou que ninguém lá fosse sózinho (enquanto ele passou o espectáculo inteiro a fazê-lo!!)!!
E, para cúmulo, fazia grandes "encenações", levantava o baixo no ar, atirava-o, etc, sempre em apoteose, no clímax das canções... esteve sempre a chamar as atenções para si, à descarada... nem parecia possível tamanha falta de noção... como se alguém, para além da tia, dos primos e amigos, quisesse prestar-lhe atenção!...
(Ah, e falava! Berrava ao microfone como se estivéssemos todos cheios de vontade de o ouvir a dizer fosse o que fosse!...)

Resultado: O Reininho cirulava para os lados, porque o palhaço estava sempre lá à frente. Não havia espaço para subtilezas (a que o Reininho se presta, quer em gestos, quer em palavras). Era inibidor de todos os outros.

Eu, ao fim de dez minutos, só olhava para ele e pensava: Abatam-no!

e para festejar

muita cama e pouca comida! :D

sexta-feira, 18 de abril de 2008

amanhã

este blog faz um ano.

nostalgia

numa decisão de última hora, alimentada pela manhã da Comercial...
... vou ver os GNR!... :D

quinta-feira, 17 de abril de 2008

preocupa-me

não dormir convenientemente.

e

amo-te muito, meu amor.

algumas verdades desconcertantes,

pelos vistos, a meu respeito:

- Tenho a cabeça demasiado ocupada para ficar muito tempo a olhar para o espelho. Diverte-me, de vez em quando, embelezar-me ou mudar - até é mais isso, mudar! - mas farto-me rapidamente! Tão rapidamente como de quase tudo. Supor que eu serei, alguma vez, o tipo de pessoa (não reduzamos isto a condição feminina) que goste de ou deseje - ou fará por - andar "arranjadinha" mais do que de-vez-em-quando, é conhecer-me muito mal.

- O meu lado familiar aplica-se, cada vez mais, aos meus rebentos. Amo a minha filha cada vez mais, a cada dia que passa. De resto, tenho rasgos de generosidade amorosa com algumas pessoas mas não estou disponível para todos a toda a hora. Raramente atendo o telefone à minha mãe e, cheira-me, cada vez atenderei menos. Há coisas que não percebo, não perdoo e não tolero. Não estou disposta a fazer fretes, no que diz respeito a relações, sejam elas de que espécie forem. Aliás, cada vez estou menos disposta a fazer fretes, ponto.

- O meu lado empreendedor, de trabalhadora dedicada e exaustiva, morreu. Só me vejo a fazer maratonas por projectos que considere um prazer (intelectual, espiritual) e que, mesmo que me ponham a trabalhar muito, não considere trabalho. Artísticos de certeza. Sociais possivelmente.

- não sou uma pessoa passiva e discreta, principalmente no que toca a liberdades. Nunca fui. Tenho, curiosamente, os meus pudores, mas sou uma espalha-brasas no que toca a defender os meus direitos e os dos meus.

por agora, ficamos por aqui.
É sempre um tópico possível de actualização.

como pode

alguém estar tão enganado a meu respeito? Alguém, note-se, que eu julgava próximo, atento e esperto. Das duas uma, ou tenho dupla personalidade, ou alguém tem!...

alguém

trabalhar tão compulsivamente que deixe de ter tempo para, de forma sistemática, dormir, comer, viver e ser co-responsável (para além da sustentabilidade económica) pelos outros e a sua vida em comum, parece-me tão disfuncional como um sem-abrigo por opção própria que, pelo contrário, atirou tudo ao ar e os mandou foder a todos - sendo que me parece maior o encaixe de crânio do segundo que do primeiro.

andar

a passear o cão - eufórico, doido - de trela, por estes dias, parece-me tão estúpido como içar uma estante por uma corda. Ora se não me passa pela cabeça dar ao cabedal pela segunda, só mesmo o amor ao bicho me leva, contra o que me parece lógico, a sair porta fora debaixo de chuva. Não muito tempo depois, a ruminar conjecturas, solto-o ao vento desenfreado porque não lhe quero ficar a dever um descolamento na placenta...
...mas na realidade também não me parece nada bem andar por aí aos gritos e preocupada com o que lhe possa suceder, enquanto continua a chover-me em cima...
resumindo...

já vou avisando

que hoje estou p'los ajustes!!!

ahahah!!..

"Manhattan da Moita(...)" e "(...) detesto a cena cool" é muito bom...

terça-feira, 15 de abril de 2008

:)

está tudo bem.
Ainda não se pode saber o género (f/m) porque ainda é cedinho!
Mas já tem os ossinhos todos, dedinhos, mãozinhas, pézinhos, perninhas e bracinhos que não pára de mexer. E ossinhos do nariz. E maxilares, vértebras e costelinhas... :)
E gosta de cruzar as pernas e de dar saltinhos, batendo com os pés no fundo do saco amniótico e ficando a pairar no líquido!
E as mãos, mexe-as muito e gosta de as ter perto da cabeça!
"Boa actividade fetal", pois!...

segunda-feira, 14 de abril de 2008

hoje

é dia de ecografia.
Vamos os três. (O cão e a gata não podem entrar.)

domingo, 13 de abril de 2008

ora nem mais!

Mais uma vez a Rititi diz tudo, com a graça que lhe é natural.
Independentemente da questão* que originou o post, de que só tomei conhecimento através desta crónica assinada pela mesma Rita Barata Silvério (eu que não vejo noticiários e raramente leio jornais, mea-culpa, mea-culpa), é uma daquelas singelas chamadas de atenção para esta merda (e desculpem-me o termo mas já denuncio muita falta de paciência) desta sociedade machista encapotada (ou já nem tão encapotada como isso), consumista desenfreada de meninas tesudas e em êxtase, manipuladora e destruidora de amores próprios e auto-estimas e fabricante de imagens descartáveis à base de bisturis, injecções e outros que tais... tudo para consumo de uns burgessos arrogantes, alarves, ignorantes e desprovidos de sensualidade, maneiras ou inteligência emocional, que são a larga maioria destes homens que nos ressonam aos ouvidos.

* e quando renuncio à questão de base faço-o por desconhecer os factos, não por achá-la destituída de relevância.

sábado, 12 de abril de 2008

entretanto

a galope e eu com o coração aos saltos mas a vibrar com ela.
Para o ano que vem, ou no final deste, já sei onde vou recuperar a forma...


Aaahh!!!!

mais uma magnífica descoberta.
Este videozinho foi só a ponta do iceberg!!
Depois de puxar a ponta do cordelinho descobri que o novelo era imeeeenso!!!
Ora fazei lá o favor a vós próprios de descobrir também, via youtube e via myspace!...
(paris, les ex, au port, ta douleur... etc, etc, etc...!!!)



por falar em novelo!
e lembrar a voz de Ratatui!
olhem... vejam e oiçam por vocês!

quinta-feira, 10 de abril de 2008

mescla




laranja


que engraçado

este trabalho na origem deste post! As fotografias são uma delícia e é muito curioso observar as diferenças!...

Agora, só vos digo: no estado em que me encontro, se fizesse a exposição de tudo o que como no mesmo período de tempo... :b

a ruiva em mim

é constantemente abafada pela morena (de cabelo, claro, que de pele... nem nos meus maiores "bronzes" consegui mais que um douradinho e -lá está, lá está!!.. - sardento).
Mas quando se me dão os ataques e me ponho a tentar aclarar o cabelo eis que ela aparece, qual Gilda libertada das masmorras. Ruiva. Ruiva, ruiva, ruiva. Ruiva escura, ruiva clara, mas ruiva.
E é que até me fica bem, com a pele branquinha e os olhos verdes. Quando em tempos cultivei o género, de sobrancelhas a condizer, tive até que convencer algumas pessoas de que aquilo não passava de truque de cabeleireiro prendado. Só que me fartei... (como sempre, eu que me farto muito das coisas... :b)
Ora ontem, depois de já não poder ver o cabelo que não cresce nem aparece, cheguei ao cabeleireiro disposta a ser loira, muito loira, com madeixas e tudo.
Entre as 14:30 e as 20:00h (sim, estive lá toda a tarde...) passaram-me pela cabeça:
- Uma ligeira descoloração para tirar tinta mais escura - fiquei ruiva escura,
- uma lavagem,
- Uma tinta para aloirar - fiquei ruiva clara,
- uma lavagem,
- Nuances loiras - fiquei ruiva com nuances,
- uma lavagem,
- Madeixas com pratas - que não pegavam
- Continuação das pratas com a cabeça enfiada numa espécie de forno com rodas, de onde só via sair fumo... - fiquei com o cabelo às ricas laranjas e amarelas ( e a achar que se me tivessem posto aquilo em todo o cabelo teria ficado loira platinada... mas não...),
- uma lavagem,
- um "brilho café com leite", ou seja, mais uma tinta para tentar amenizar as riscas - e ainda bem que a luisinha decidiu pôr-me aquilo - fiquei loira média, com muitas madeixas...
- última lavagem
- tinta nas sobrancelhas - fiquei com ar de gato pardo...

E pronto! Posto isto, e respondendo à pergunta da maçã, em comentários do segundo post abaixo:
-Não! Loira do bairro da lata, loira como o Bené da Cidade de Deus (o amigo do Zé Piqueno), quando decide tornar-se yé-yé...
Agora, com perseverança (não o meu forte, pelo menos nisto, é certo...) e mais idas ao cabeleireiro nos próximos 2, 3 meses, eu chego lá!!
Agora há que estudar a make-up ideal (eu que tenho mesmo paciência para andar maquilhada todos os dias... e que nem fico com conjuntivite quando ponho rímel dois dias seguidos...) para tornar esta chungaria em glamour...

quarta-feira, 9 de abril de 2008

em directo II

oh meu deus!...

em directo do cabeleireiro

vim para ficar loira.
Para não variar, estou ruiva. :b
Work in progress... vejamos.

e aqui

para a maçã!

Achei que ias gostar!!

(pronto, vou tentar não vos encher mais de youtubes!!)

:D :D :D :D lindo!!


:D :D


:)


terça-feira, 8 de abril de 2008

...definitivamente

uma uma grande descoberta!
Talvez o blog mais interessante que já conheci!

uff! :b

não há fome que não dê em fartura!

para a morfose

que linkou o trailler, e para todos (maçã!! entra o Bernall!!)
aqui fica o link para "Diário de Blindness", o blog escrito na primeira pessoa pelo próprio realizador Fernando Meirelles.

E que expectativa!, para quem viu Cidade de Deus (não, ainda não vi o Fiel Jardineiro, shame on me...) e leu o Ensaio Sobre A Cegueira (sim, Saramago, sim...)!

Ainda o link para o trailler no youtube porque não consegui aceder ao outro.

e agora,

para nos rirmos um bocadinho, deixo-vos o o anúncio do Indie Lisboa 2008...
(Não sem antes vos dizer que o senhor em questão é, literalmente, o meu ex-marido...)
ah, ah, ah, ah, ah, ah.....!!!

Adenda: Acho que não perceberam: é o pai da Mariana que faz o filme!! :D


e sim

ando uma furiosa dramática!
Não sei se as hormonas justificam tamanha falta de pachorra para o que me parece uma imbecilidade, para o trânsito, para os homens, para as mulheres, para o trabalho, para quase tudo.
E a irascibilidade.
E a apatia.
E o cansaço.
Mas se são as hormonas, em parte lhes digo: obrigada!

cognac é conhaque

...que lá onde trabalho se ande a lutar por uma campanha cuja protagonista (talento nato para estas coisas muito aperfeiçoado pela cosmética e pela insuflação) na sua última capa de revista masculina tenha aparecido com a natural subtileza de uma vaca leiteira de gatas a mamar um caralho qualquer... - adoro isto!

e

a propósito de uma citação que encontrei no blog de um amigo e que passo, também eu, a citar:

“Nunca confies num animal
que sangra durante 5 dias e não morre”

não posso deixar de dizer ao autor (da frase - que não sei quem é -, que o do blog é meu amigo e tem atenuantes...) que também a cadela da sua mãe sangrou várias vezes, de certeza, e ainda mais quando o pariu e não morreu! E é provável que tenha tido o cio outras quantas vezes e que numa dessas alturas o tenha concebido. A não ser que o pai, esse Homem e como homem, lhe tenha saltado para cima em quatro patas e a tenha emprenhado contra vontade, porque os homens, esses, já se sabe que se não fodem aqui, fodem ali, e é bom que as cadelas das mães se ponham a jeito...

tudo transposto

à excepção dos gentis comentários e do post sobre máquinas de lavar, a pedido...

:)

coisas mais ou menos pertinentes

que se passaram elsewhere...






coisas mais ou menos pertinentes II

a suivre...

(abre aspas)

Quinta-feira, 27 de Março de 2008
ontem

fui ver o No Country for Old Men. Gostei muito do filme, muito dos actores, e achei que, embora incómodo por ser em aberto, o final contribuía para a passar a "mensagem" do filme... Mais um dos Cohen, mais um que gosto e pronto (não porque sim, mas porque corresponde e cumpre). E claro, o Bardem...

Mas hoje fui ver o There Will Be Blood e o Daniel Day Lewis...
E hoje voltei com um chapadão na "tromba"...
É que ontem gostei, mas o que vi hoje não esquecerei e cravou-se-me um bocadinho na carne e muito na memória!
Ainda me sinto a balbuciar as palavras...
O "gajo" é, desde (não digo "sempre" porque em pequena me apaixonei pelo Jeremy Irons no Reviver o Passado Em Brideshead - mas já passou!) há muuuuiitos anos o meu actor preferido e eu espero pelos filmes que se digna a fazer o tempo que é preciso... estava mortinha por ver este e voltei, como sempre, assombrada e arrebatada!
Há umas duas ou três semanas li na diagonal uma crítica/crónica na revista do Expresso em que o autor (sinceramente nem quis reter o nome, porque por "duas-ou-três" percebi que além de não concordar com ele em vários aspectos, nem sequer lhe reconhecia o mérito ou a lógica do raciocínio) dizia umas quaisquer bojardas a rondar o seguinte (e não estou a citar porque não tenho já, comigo, a dita revista): que o Daniel Day Lewis era histriónico, blá, blá, blá, e que gostava mesmo era de ver o George Clooney (comparava inclusivamente os dois filmes em cena com os últimos trabalhos dos dois actores), que esse sim, apesar dos filmes e das personagens, era sempre o George Clooney e que isso se sentia na subtileza do olhar, ou do sorriso, ou do raio que o parta, numa das derradeiras cenas do filme...
Ora isto, para mim, é precisamente onde da opinião passamos ao disparate...
É precisamente aqui que reside a diferença entre o Actor e a Movie Star, caramba!...
O Daniel Day Lewis (e já tive conversas semelhantes a propósito de actores portugueses e do José Pedro Gomes...) transforma-se; ele É outra pessoa: a chamada Personagem (e sim, é um substantivo feminino, independentemente do género, vulgo sexo, da mesma - ao contrário do francês, onde, não sei porquê, nos últimos anos toda a gente foi buscar o "estrangeirismo")!
A Personagem é um ser com identidade própria, com Passado, com Destino, com Intensão, Sentimentos, História, Vivências e a sua própria percepção das coisas... A Personagem é como se fosse realmente uma Pessoa! E aqui entram os actores! O Actor deve interpretar e dar vida a essa personagem! E deve fazer esquecer a quem assiste, o espectador (seja de cinema, teatro ou televisão), que existe para além da personagem!
Ora isto é mesmo MUITO difícil e muito RARO! E temos o mundo cheio de pessoas, vulgo actores, que, na realidade, não o são. Poderão ser muitas outras coisas! Bonit(a)os, fotogénicos, galãs, estrelas, carismáticos... sem serem actores! E protagonizar filmes, telenovelas, espectáculos...
O George Clooney é, sem dúvia, um charmoso... é o Homem da Nespresso, caramba! Mas é sempre, e sempre será, o George Clooney (como disse o homem do Expresso no outro dia)! E por isso é que não estamos a falar da mesma coisa...
O Homem que vi hoje não é o mesmo Homem do Em Nome Do Pai, do Último Dos Moicanos, ou do My Left Foot, e, no entanto, o actor é o mesmo! Curioso, não?

PS - E não estou a falar de "caracterização" ou maquilhagem... nãããoo... a construção é feita interiormente!
Se calhar o rapazinho só não sabe o que quer dizer histriónico!


PPS - Quanto ao filme propriamente dito, tal como o Magnólia, do mesmo realizador (embora muito diferente deste), quanto mais tempo passa, mais gosto dele!
E o crescendo até ao clímax da acção, sempre maior e maior, torna as primeiras duas horas perfeitamente justificadas.
:) incómodo! Um soco no estômago, porque "está tudo na cabeça"! Muito Bom.


ainda

e porque estamos a falar de gajos e de cinema, e, sem querer, de Óscares, também gosto muito deste!



(fecha aspas)

coisas mais ou menos pertinentes III







links:
"Isto é qualquer coisa de fenomenal!"
"e" - youtube dos elefantes.

...sim...

pois... tens razão!
Eu também! Felizmente também sei bem quem sou e portanto, se havia alguém que estava enganado, pelo facto pedimos desculpas.